fbpx
Telefone: (11) 3536-2478 - (11) 99409-7274 contato@auraclara.com.br

Neste Dia do Pediatra, a Drª Débora Nakazone, ensina como fazer a introdução alimentar correta para seu bebê:

 

Com um bebê em nossas vidas, uma das grandes dúvidas dos pais é como fazer a famosa introdução alimentar. A introdução é o momento quando a criança passa a comer outros alimentos além do leite materno. E como ele deve ser feito?

A Sociedade Brasileira de Pediatria orienta o aleitamento materno exclusivo ou artificial até o sexto mês de vida. Ou seja, até 6 meses, o leite da mãe é suficiente para nutrir e hidratar completamente as necessidades do bebê. Assim, a introdução alimentar deve começar após 6 meses de idade.

Atualmente, existem alguns métodos diferentes de introdução alimentar. Não existe certo ou errado: o estilo de conduzir esse processo tão importante é uma escolha que cabe aos pais, juntamente com um profissional da área da saúde capacitado para conduzir e orientar esse processo.

Por exemplo, em minha experiência, podemos dizer que o nome mais preciso para esse processo seria experimentação alimentar. Por que? Esse é o momento em que a criança é apresentada para os alimentos e, a partir da experimentação com eles, inaugura uma fase de importante desenvolvimento sensorial e neurológico.

Uma dica que costumo dar aos meus pacientes é sobre a ansiedade dos pais. A expectativa da boa aceitação alimentar deve ser deixada de lado: tudo bem se seu filho ou sua filha não gostarem de determinado alimento, “demorarem” mais em determinadas comidas.

Apesar das preocupações, a melhor situação é encarar esse evento com muita leveza e observação, dando suporte para seu filho começar a descobrir o mundo além do seio materno.

Existem alguns sinais que nos dão segurança para iniciar o processo de experimentação alimentar. Para iniciar o processo, o bebê deve apresentar todos esses sinais:

 

Quais sinais de que o bebê está pronto para a introdução alimentar?

 

– Ter 6 meses ou mais de idade;

– Conseguir sentar sem apoio ou com mínimo de apoio;

– Se interessar pelos alimentos;

– Redução do sinal de protusão da língua;

– Levar objetos e brinquedos a boca;

 

Esses sinais são fundamentais e garantem que o bebê tem desenvolvimento neurológico necessário – reduzindo a chance de engasgo – e maturidade intestinal – reduzindo intolerâncias alimentares – para começar a comer outros alimentos!

 

Vale lembrar que os bebês prematuros devem atingir 6 meses de idade corrigida para iniciar o processo.

 

Quais alimentos devemos oferecer aos bebês nessa fase?

 

– Frutas;

– Legumes;

– Tubérculos;

– Grãos;

– Leguminosas;

– Proteínas animais e/ou vegetais;

– Cereais;

 

Ainda para te ajudar nesse processo, listei aqui alguns alimentos para se evitar ou não oferecer os bebês antes de 1 ano de idade:

 

Alimentos que não devemos oferecer para bebês de até 1 ano de idade:

– Sal;

– Café;

– Mel;

– Leite de vaca e derivados;

 

Alimentos que devemos evitar sempre oferecer aos bebês:

 

– Frituras;

– Doces;

– Industrializados;

– Suco de caixinha e refrigerante;

 

Certo? Espero que tenham gostado do blog e que ele te ajude a se orientar nesse processo! Para mais dúvidas, recomendo sempre estar acompanhado de um bom profissional, para se munir de informações seguras, e conseguir aproveitar com confiança esse momento tão especial na vida da criança. Até a próxima!

 

Referência:
Manual de Orientação do Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria